Novembro 26, 2020

Trump ‘está bem’ e não usa auxílio de oxigênio, diz médico da Casa Branca

Internado com Covid-19, presidente americano tem sinais vitais normais e não apresentou febre nas últimas 24 horas; não há previsão de alta

Donald Trump está bem, tem sinais vitais normais e não apresentou febre nas últimas 24 horas. Esse é o quadro geral de saúde do presidente americano apresentado neste sábado, 2, em entrevista coletiva, pelo médico da Casa Branca, Sean Conley. “Esta manhã ele está indo muito bem. Apresenta um pouco de congestão nasal e tosse leve. Estamos otimistas”, resumiu.

Trump segue internado no hospital militar Walter Reed, diagnosticado com Covid-19. Os médicos não quiseram adiantar uma previsão de alta. “Vamos avaliar o quadro clínico diariamente”, disse Conley.

Ao lado de outros nove médicos que monitoram o estado de saúde do republicano, Conley, no entanto, foi evasivo em relação a muitas perguntas feitas pelos repórteres. Ele se negou a responder quando foi a última vez que Trump testou negativo para Covid-19 e disse que “no momento, o presidente não utiliza auxílio de oxigênio”. Perguntado se ele chegou a receber auxílio de respiradores ao longo das últimas 72 horas, o médico apenas repetiu a mesma informação.

Em seguida, o próprio presidente americano postou uma mensagem em seu perfil no Twitter em que elogia os médicos e enfermeiras do hospital militar. “Com a ajuda deles, eu estou me sentindo bem!”, escreveu.

Continua após a publicidade

Enquanto isso, o jornal The New York Times afirmou que uma fonte com conhecimento do quadro de saúde de Trump contou que as últimas 24 horas foram “muito preocupantes” e que as próximas 48 horas serão “críticas” para avaliar a evolução de sua condição.

Tratamento

Desde que foi internado, Trump recebeu uma dose única de oito gramas de um coquetel de anticorpos “policlonais”, desenvolvido pela farmacêutica Regeneron. O tratamento experimental pode reduzir o nível do vírus no corpo e encurtar as internações hospitalares, quando administrado no início da infecção.

O presidente americano recebeu ainda Remdesivir, um antiretroviral,  vitamina D, zinco, melatonina, aspirina, famotidina, e um remédio para azia. O tratamento deve seguir nos próximos dias. “No momento, nossa preocupação é fazê-lo comer, beber, permanecer hidratado”, afirmou Ben Garibaldi, um dos médicos da equipe. 

Até o momento, a hidroxicloroquina, remédio que foi defendido por Trump para pacientes infectados, não faz parte do tratamento. Segundo Conley, Trump perguntou se o medicamento não seria indicado, mas os médicos teriam dispensado seu uso.

Leia nesta edição: os planos do presidente para o Supremo. E mais: as profundas transformações provocadas no cotidiano pela pandemiaVEJA/VEJA

O presidente tem 74 anos e uma doença cardíaca leve, o que o obriga a controlar o nível de colesterol com uso de estatina e aspirina para prevenir ataques cardíacos. Com 1,90 metro de altura e 110 quilos, ele pode ter cruzado a linha da obesidade.

Trump é tratado em uma ala especial do hospital, destinada exclusivamente ao presidente dos Estados Unidos. Além do quarto do chefe de Estado, que dispõe de equipamentos de última geração, há dormitórios para os médicos e uma sala para despachos. “Ele está cheio de trabalho e tem se encarregado disso”, informou Conley.

O estado de saúde da primeira-dama Melania Trump, também diagnosticada com coronavírus, é considerado bom, sem necessidade de internação. Ela se recupera na Casa Branca.

Continua após a publicidade

Cresta Help Chat
Send via WhatsApp
01511993455895