Abril 19, 2021

Centros de detenção de imigrantes dos EUA têm quase 500 novos casos

Famílias de imigrantes vêm protestando há meses contra as detenções

Famílias de imigrantes vêm protestando há meses contra as detenções

Eugene Garcia / EFE – EPA – Arquivo

Cerca de 500 imigrantes reclusos em centros de detenção nos Estados Unidos tiveram testes positivos para o novo coronavírus nesta quinta-feira (31), último dia de 2020, segundo informações divulgadas pelo Serviço de Controle de Imigração e Aduanas do país (ICE, pela sigla em inglês).

Leia também: EUA superam marca de 19 milhões de casos do novo coronavírus

De acordo com o órgão, são 497 positivos, o que eleva para 8.415 os casos confirmados nas unidades, desde o início da pandemia da Covid-19 no território americano.

Até o momento, oito imigrantes morreram por consequência da doença, enquanto estavam sob custódia do ICE.

Pandemia na detenção

Nos últimos meses, os números referentes à pandemia têm provocado duras críticas de congressistas democratas e de grupos de direitos dos imigrantes, que repetidamente exigem a libertação de parte dos detidos, ou até mesmo de todos.

Os centros de detenção com maior número de imigrantes em isolamento por terem dado positivo para o novo coronavírus são York County Prison e Clinton County Correctional Facility, ambos na Pensilvânia, com 76 e 38, respectivamente.

Desde o início da pandemia, o ICE liberou alguns detidos que integravam grupos de risco, mas em seguida foi obrigado a soltar mais pessoas, diante de determinações judiciais.

Atualmente, 15.943 pessoas estão reclusas nos centros de detenção, depois de, em 2019, o número de sido de mais de 50 mil. A queda se dá devido as libertações, a deportação de milhares de pessoas, além de um menor número de prisões.

Famílias de imigrantes vêm protestando há meses contra as detenções

Famílias de imigrantes vêm protestando há meses contra as detenções

Eugene Garcia / EFE – EPA – Arquivo

Cerca de 500 imigrantes reclusos em centros de detenção nos Estados Unidos tiveram testes positivos para o novo coronavírus nesta quinta-feira (31), último dia de 2020, segundo informações divulgadas pelo Serviço de Controle de Imigração e Aduanas do país (ICE, pela sigla em inglês).

Leia também: EUA superam marca de 19 milhões de casos do novo coronavírus

De acordo com o órgão, são 497 positivos, o que eleva para 8.415 os casos confirmados nas unidades, desde o início da pandemia da Covid-19 no território americano.

Até o momento, oito imigrantes morreram por consequência da doença, enquanto estavam sob custódia do ICE.

Pandemia na detenção

Nos últimos meses, os números referentes à pandemia têm provocado duras críticas de congressistas democratas e de grupos de direitos dos imigrantes, que repetidamente exigem a libertação de parte dos detidos, ou até mesmo de todos.

Os centros de detenção com maior número de imigrantes em isolamento por terem dado positivo para o novo coronavírus são York County Prison e Clinton County Correctional Facility, ambos na Pensilvânia, com 76 e 38, respectivamente.

Desde o início da pandemia, o ICE liberou alguns detidos que integravam grupos de risco, mas em seguida foi obrigado a soltar mais pessoas, diante de determinações judiciais.

Atualmente, 15.943 pessoas estão reclusas nos centros de detenção, depois de, em 2019, o número de sido de mais de 50 mil. A queda se dá devido as libertações, a deportação de milhares de pessoas, além de um menor número de prisões.

You may have missed

Cresta Help Chat
Send via WhatsApp
11993455895