Junho 24, 2021

Renomada revista científica europeia atesta que medicamento Nitazoxanida reduz carga viral em até 3 dias de infecção com coronavírus

Um estudo clínico coordenado e financiado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) sobre o uso do medicamento nitazoxanida em pacientes com Covid-19 acaba de ser publicado pela revista científica, European Respiratory Journal. O estudo confirma que o antiviral nitazoxanida é capaz de reduzir a carga viral em pacientes com até 3 dias de confirmação da doença no organismo. Para isso, deve ser administrado na dosagem de 500 mg, de 8 em 8 horas, durante 5 dias.

“A publicação do estudo clínico é um presente de Natal da ciência brasileira para o mundo. É uma excelente notícia de fim de ano para começarmos 2021 com ainda mais determinação para enfrentar esta pandemia utilizando a única arma possível de derrotá-la, a ciência. O Brasil possui excelentes cientistas e pesquisadores que produzem conhecimento científico de ponta e esse estudo com a nitazoxanida mostra que podemos ajudar não só o país, mas também o planeta. Finalizamos o estudo e deixamos essa contribuição publicada para que novos protocolos de tratamento preventivo ou prescrição médica possam ser adotados”, declarou o ministro do MCTI, Marcos Pontes.

Segundo a coordenadora do estudo, a professora Patrícia Rocco, titular da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), a diminuição da carga viral representa uma menor possibilidade de contágio pelos pacientes tratados e evita o agravamento das condições de saúde.

A definição pelo antiviral nitazoxanida ocorreu depois de testes com 2 mil fármacos, utilizando inteligência artificial, pelo Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), organização social vinculada ao MCTI. Os testes identificaram cinco remédios com potencial para combater a replicação do novo coronavírus. Um deles, o antiviral nitazoxanida, reduziu em 94% a carga viral em células infectadas in vitro.

Em seguida, com aprovação da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (CONEP), o ministério deu início ao protocolo de estudos clínicos com a nitaxozanida no tratamento de pacientes com sintomas iniciais de Covid-19, como febre, tosse e fadiga. Assim foi lançada a campanha #500VoluntáriosJá, que levou carretas para receber os participantes dos estudos nas cidades de Ceilândia (DF), Bauru, Sorocaba, Barueri, Guarulhos e São Caetano do Sul, em São Paulo, e Juiz de Fora (MG).

O estudo teve a participação de 1.575 voluntários em 7 cidades do país. A pesquisa foi conduzida no padrão multicêntrico, randomizado com grupo de controle e “duplo cego”, em que nem os pacientes ou médicos tinham conhecimento da medicação usada e poderiam tanto receber a nitazoxanida ou o placebo.

O secretário de Pesquisa e Formação Científica do MCTI, Dr. Marcelo Morales ressaltou que o estudo clínico foi realizado com o antiviral nitazoxanida, um medicamento já existente no mercado e que não foi criado com a finalidade de combater a Covid-19. “O reposicionamento de fármaco foi apenas uma das linhas de atuação sugerida pelos pesquisadores da RedeVírus MCTI devido à emergência da pandemia e já apontando a grande possibilidade de encontramos uma solução interessante para uma demanda mundial. E a publicação do estudo clínico numa conceituada revista científica dá ainda mais credibilidade à pesquisa e possibilita que este conhecimento construído por pesquisadores e cientistas brasileiros pudesse ajudar o planeta”, afirmou.

A secretária de articulação e promoção da ciência do MCTI, Christiane Corrêa, agradeceu e destacou a importância dos voluntários, médicos, enfermeiros, aos hospitais credenciados, e todos que colaboraram com a realização do estudo clínico, inclusive aos Correios pelo essencial apoio logístico nesta conquista para o país.

Para senso comum, segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA) vinculado ao Ministério da Saúde, se considerando as etapas da pesquisa experimental e clínica, o tempo total de desenvolvimento de um novo medicamento pode ultrapassar 10 anos, sendo que de cada 10 mil moléculas testadas, apenas uma se torna um medicamento comercializado.

Informações do Ministério de Ciência e Tecnologia

Agora Notícias Brasil

The post Renomada revista científica europeia atesta que medicamento Nitazoxanida reduz carga viral em até 3 dias de infecção com coronavírus appeared first on Terra Brasil Notícias.

You may have missed

Cresta Help Chat
Send via WhatsApp
11993455895